CUIDADOS AO COMPRAR ON-LINE – CARTILHA AO CONSUMIDOR

BOM DIA!

      Hoje vamos oferecer aos consumidores DICAS para quem faz compras pela internet, nas mais diversas lojas virtuais, assim como nos site’s de negociação direta, como o Mercado Livre.

     Ontem postamos o relato (e breve crítica) de uma jornalista de Brasília que foi informada via telefone, pela operadora de seu cartão de crédito,que um determinado valor seria lançado em sua fatura no dia seguinte. A compra havia sido realizada numa loja virtual na qual a jornalista jamais tinha aberto cadastro, nem realizado compra alguma. Com certeza, estava sendo vítima de um furto virtual: usaram os dados de seu cartão para realizar a compra. Ela pediu providências, tanto à bandeira de cartões, quanto à loja virtual, e não teve solução. Foi ao Distrito Policial e ao Procon e também não lhe deram soluções. Provavelmente, sofrerá os prejuízos de ordem material (o valor descontado) e moral (contrangimentos, estresse, nervoso), para que somente então consiga ter seus Direitos tutelados no Poder Judiciário. O artigo inteiro você encontra CLICANDO AQUI.

  Como esses e outros problemas são corriqueiros na vida dos “consumidores virtuais”, preparamos uma série de dicas a vocês, para que possam tanto se prevenirem contra fraudes, quanto remediarem situações embaraçosas e estressantes como a citada acima.

CRESCE O MERCADO VIRTUAL

(CONTINUE LENDO)

   Pesquisas indicam que o Brasil enquadra-se entre os países que mais compram virtualmente no mundo. O crescimento é visível. Diversas vantangens acometem os consumidores no momento da escolha entre a compra virtual e a compra na loja física, o que fazem do mercado on-line uma atrativa ferramenta para os consumidores internautas.

    Mas, além das vantagens, existem também as DESVANTAGENS, que podem tirar o sossego de muita gente, o que acontece frequentemente.

VANTAGENS

    Porque comprar virtualmente?

   1. MENOR PREÇO: No preço final de um produto estão embutidos, proporcionalmente, todos os custos que o vendedor tem para manter sua empresa funcional. Numa loja física, além do preço de custo do produto a ser vendido, embute-se ainda custos com aluguel do espaço físico, energia, água, impostos, limpeza, salário dos funcionários que estão em contato direto com o público e todos os outros do setor administrativo, caixas, consultores de crediários,  entre outros. Já a loja virtual consegue eliminar boa parte destes custos, sendo que precisa apenas manter o estoque, número de funcionários reduzido para administrar o site de compras, encaminhar pedidos e providenciar o envio do produto. Consequência: preço mais baixo nas lojas virtuais. Como podemos facilmente conferir, uma mesma empresa que realize vendas físicas e virtuais, tem preços distintos para o mesmo produto; o produto vendido na loja virtual sai mais em conta.

  2. ENTREGA À DOMICÍLIO: Nos tempos corridos em que vivemos, cada vez mais sobra menos tempo para nossas tarefas cotidiana. E ir a uma loja física demanda tempo. A compra virtual trás o produto até o consumidor, em curto espaço de tempo. A comodidade faz a diferença para muitos.

  3. MAIORES POSSIBILIDADES DE PARCELAMENTO: Muitas lojas físicas oferecem a compra parcelada no cartão de crédito, mas em número de parcelas menores do que nas lojas virtuais. Enquanto algumas lojas físicas limitam a seis ou sete parcelas, dependendo dos valores, as lojas virtuais, em sua maioria, oferecem parcelamentos que variam de uma à vinte parcelas. Quanto mais se parcela, maior potencial de compra tem o consumidor. (Sempre salientamos, porém, a necessidade de controle destas compras, para evitar o superendividamento, fenômeno social contemporâneos que abordaresmo em artigo específico)

  4. MAIOR VARIEDADE DE PRODUTOS: Quantas vezes não fomos até uma loja, não encontramos o produto desejado, e acabamos levando outro diferente? Com a amplitude da internet, a variedade de lojas nos permite encontrar o produto desejado em diversos sites, e também encontramos maior variedade, mais opções. Temos, na ponta dos dedos, a possibilidade de ir de uma loja a outra em alguns cliques.

DESVANTAGENS

     Quais os riscos e os “dessabores” a que ficamos alheios nas compras virtuais?

        1. PRODUTO DEFEITUOSO OU DIVERSO DO COMPRADO: Quando o produto chega em nossa casa no prazo correto, e funciona perfeitamente, não há o que se falar da compra virtual. Mas, muitas vezes, acontece de vir um produto defeituoso ou diverso daquele que compramos. Já aconteceu com muitos conhecidos, que compram, por exemplo, celulares, de vir um modelo similar, mas distinto, ou o modelo correto, mas com a cor diferente. Já ouvimos casos de consumidores que receberam produtos defeituosos, ou mesmo quebrados. No processo de entrega, muitas vezes realizada via correio, não há uma conferência do conteúdo, nem o teste do produto. O entregador, seja do correio, ou da empresa, não se obriga a conferir o produto conjuntamente com o comprador. Se houver defeitos, e o produto tiver de ser trocado, começam as dores de cabeça.

    1.1. A TROCA: Se compramos o produto em loja física, fica fácil trocá-lo. Vamos até a loja e trocamos. Mas, nas lojas virtuais, teremos de remeter o produto defeituoso de volta o vendedor, para que então ele constate o produto, e, teoricamente, remeta um produto em perfeitas condições ao comprador. Com isso, terá o comprador gastos com a postagem do produto, e será obrigado a aguardar por dias a solução da questão. E isso se o vendedor não contestar a alegação de defeito: muitas vezes a empresa entende que o produto foi quebrado por culpa do correio, e que saiu em perfeitas condições de sua loja. E então, novos procedimentos terão de ser abertos para averiguar a verdade dos fatos, o que pode levar muitos dias.

   2. EXTRAVIO NOS CORREIOS: Esse já foi um problema que deixou muito consumidor e empresas de “cabelos em pé”. Atualmente, as grandes lojas oferecem um rastreamento do produto. Se ele foi entregue corretamente, ou se não chegou ao consumidor, isso poderá ser averiguado.

 3. CANCELAMENTO DA COMPRA:   Muitas vezes quando o consumidor busca cancelar a compra, antes da entrega do produto, o cancelamento não é realizado. Como o processo é sistematizado, e muitas empresas negligenciam os procedimentos para cancelamento, não é incomum ocorrer de, mesmo cancelada a compra, o produto chegar em sua casa… e, logicamente, o preço ser cobrado em sua fatura. Então, mais burocracias e gastos para devolução e cancelamento da compra, sendo necessária a intervenção do banco, bandeira de cartão de crédito, etc., para resolver a questão.

   4. OS RISCOS DE FRAUDES E GOLPES:  Como salientado no artigo de ontem, as compras on-line acabam expondo o consumidor, não somente aqueles que compram, como aqueles que não compram. O perigo encontra-se no procedimento facilitado de compra. Para se fazer uma compra on-line não é preciso mais do que um cadastro, e oferecer os dados de um cartão de crédito. Todos os dados necessários (nome, número do cartão, data de validade e código de segurança) estão contidos no cartão em si. Não é exigida uma senha, nem mesmo que o comprador seja proprietário do cartão. Isso quer dizer que qualquer pessoa mal intencionada que tenha acesso ao seu cartão, ou a esses dados, poderá realizar compras no seu nome.

    E, por falta de legislação específica, quando alguém usa os seus dados para realizar uma compra, muito pouco pode ser feito. O consumidor fica nas mãos das empresas envolvidas (bandeiras de cartão de crédito e lojas virtuais) para tentar resolver a questão, se é que o dano já não foi causado. É necessário que os órgãos competentes tomem as medidas necessárias e que as empresas virtuais aprimorem o seus sistemas de segurança. Somente assim o consumidor estará efetivamente protegido. Enquanto isso não ocorre, os riscos estão aí.

POR FIM, AS DICAS

   Eis então, algumas dicas que podem ajudá-los, tanto para prevenir quanto para remediar possíveis problemas que venham a ter numa compra virtual:

1. PESQUISE ANTES DE COMPRAR: Confira o que o “google” diz sobre a loja que vai comprar. Com perguntas como “tal loja é boa?”, vocês encontrarão diversos comentários em diversos sites de reclamações e consultas de qualidade das empresas pesquisadas. Gaste ao menos trinta minutos com essas pesquisas para que possa avaliar se a empresa é idônea ou não. Cuidado com as ofertas muito baratas, sempre desconfie. Sempre que possível, compare os preços, e tente buscar comprar nas lojas mais conhecidas. Se estiver em dúvida, não compre até sanar. Cuidado ao arriscar. Como foi dito, cancelar a compra e tomar providências não é fácil, gera desgastes.

1.1. MERCADO LIVRE E AFINS: Quando a compra for realizada em sites como o Mercado Livre, saiba que estará negociando diretamente com um fornecedor de produtos, e não com o próprio site em si. Ou seja, não é a empresa “mercado livre” que está lhe vendendo algo, e sim um particular! Isso quer dizer que, qualquer problema que tiver, terá de resolver com esse vendedor. O site até intervém em caso de problemas, mas sua força coercitiva é limitada, e pouco pode ser resolvido. Portanto, pesquise as qualificações do vendedor, o que pode ser encontrada na própria página de vendas. Também tenha o cuidado de qualificar o vendedor. Afinal, se ele foi um bom ou mal vendedor, outras pessoas também vão querer saber.

2. USE O MERCADOPAGO, PAGSEGUROU, PAGAMENTO DIGITAL E AFINS: São empresas ligadas a diversos sites de compras que oferecem, por um determinado custo, um seguro ao comprador. Isso quer dizer que, se houver picaretagem por parte do vendedor, essas empresas vão cobrir os prejuízos do comprador. Leva algum tempo, mas é uma garantia.

3. TROCA DE PRODUTOS:  Se vocês não receberam o produto que queriam, ou este veio com defeito, entrem em contato com a empresa, via telefone, email e tudo o mais que for possível, registrando, com número de protocolo, sua intenção de troca. Mesmo que por telefone digam que vão resolver seu problema, mandem um email. Assim, vocês terão registrado a intenção de troca. Leia atentamente, os procedimentos de troca e as exigências que as empresas fazem nessas ocasiões. Será necessário cumprir essas exigências, para, em caso de mais problemas, não haver o argumento pelas empresas de descumprimento dos procedimentos pelo consumidor. Quando for remeter o produto de volta à empresa, o faça por CARTA REGISTRADA, E COM AVISO DE RECEBIMENTO. Isso possibilitará rastrear o produto, confirmar a entrega e o recebimento pela empresa. Também pague uma taxa a mais para declarar o conteúdo do pacote, pois é mais uma prova a seu favor.

4. PRODUZAM PROVAS: Em caso de desavenças, onde a empresa se negue a devolver quantias, ou a mandar um novo produto, ou a cancelar a compra, produzam provas em seu favor. Mandem email’s, anotem os protocolos oferecidos, com nome dos funcionários que lhes atenderam, e tudo o  mais que for possível anotar.

5. E DICAS DE SEGURANÇA: Primeiro e mais importante: Cuidado com seu cartão. Não ofereça os dados do mesmo para ninguém que não seja de sua confiança, e em caso de perda, furto ou roubo, trate de cancelá-lo imediatamente.

CASO SEJAM VÍTIMAS DE UM GOLPE: Com base nos relatos de vítimas de golpes nos quais os dados de seus cartões de crédito foram utilizados, eis algumas dicas de como proceder:

5.1. REGISTRE – Como dissemos, mas nunca é demais repetir, marque o protocolo e o horário de todas as ligações que tenha feito, para as mais diversas empresas, seja a operadora de cartões, seja a loja virtual. Marque também o nome do atendente. Seja firme ao telefone, e exija solução.

  5.2. PROCON – Exija que o procon registre o seu pedido de reclamação. Infelizmente, como o número de pessoas que se utiliza dos serviços do mesmo é muito grande, o atendimento é cadenciado. Mostre que sabe de seus direitos, e exija o registro da reclamação. Se eles vão tomar providências ou não, é outra história, mas isso prova seu interesse em resolver a lide.

  5.3. INTERVENÇÃO DO SEU BANCO – Peça a intervenção de seu banco. Se os atendentes não resolverem, ou disserem que não podem auxiliá-lo, peça pra conversar com o gerente. Peça a ele que mande um fax para a bandeira de cartão de crédito, relatando os fatos, e peça cópia do protocolo de envio. Provavelmente o gerente pedirá que você mesmo monte um pequeno “dossiê”, juntando diversos documentos, e uma carta de próprio punho explicando a situação e solicitando providências.

  5.4. EMAIL’S – Mande e emails para as empresas. Muitas vezes isso não surtirá soluções, mas é mais um registro de que você correu atrás dos teus direitos.

 5.5.  BOLETIM DE OCORRÊNCIA- Registre um boletim de ocorrência preventivo caso o crime não tenha ocorrido, ou o boletim de ocorrência em caso do crime já ter acontecido. Você está sofrendo um furto, ou estará para sofrer. Exija a lavratura do mesmo.

 5.6. PROCURE UM ADVOGADO – Procure um advogado: com o conhecimento técnico de um bom profissional, todas as medidas anteriores serão tomadas com maior fundamento, e poderão surtir efeito antes que o dano se concretize. E mais, posteriormente, caso o dano não seja evitado, e com toda essa documentação, as medidas judiciais serão tomadas para que seu prejuízo seja ressarcido, e com pedido de danos morais.

  Se seguirem os passos e os cuidados aqui apresentados, reduzirão, e muito, as chances de passarem maiores desgastes em eventuais desavenças!

Compartilhe, Debata, Opine! E vamos em frente!

Abraços!

1 comentário

Arquivado em Cartilha ao Consumidor, Direito do Consumidor

Uma resposta para “CUIDADOS AO COMPRAR ON-LINE – CARTILHA AO CONSUMIDOR

  1. Pingback: MULHER SERÁ ROUBADA AMANHÃ E NADA PODE SER FEITO! – Os perigos do comércio eletrônico | Buscando Direitos – A Luta diária da Advocacia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s